---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

História de Cunha Porã

Publicado em 05/09/2013 às 16:25 - Atualizado em 17/09/2013 às 09:31

IBGE 2010 : TODOS OS DEMAIS DADOS SOBRE O MUNICÍPIO ENCONTRAM-SE EM:

http://www.ibge.com.br/cidadesat/topwindow.htm?1 

CUNHA  PORà E  UM POUCO DA SUA  HISTÓRIA  

      Tudo teve início por volta de 1929, quando alguns colonos vindos do Rio Grande do Sul começaram a se  embrenhar nas matas, enfrentando toda sorte de dificuldades para iniciar a colonização. Todavia, oficialmente se considera o ano de 1931 como sendo o ano um da colonização, pelo fato de nesta  época ter sido derrubada a primeira árvore do local onde hoje se situa a cidade de Cunha Porã.

       Em fevereiro de 1931, Arthur Herbes e João Kolln, procedentes do Rio Grande do Sul, exploraram a terra para ali se estabelecerem, seguidos de Johann Georg Salfner e seu filho Georg Albert Salfner, oriundos de Hindeland, Alemanha. Em agosto, Guilherme Hochberger veio também da alemanha a mando da companhia colonizadora, com o objetivo de receber e alojar os imigrantes. João Kolln construiu, então, a primeira serraria com o auxílio dos demais moradores, serrando manualmente a madeira destinada à obra.

        Entre os pioneiros estão, ainda Wilhelm Julius Hochberger, Willibald Weinwe, Adolfo Heydt e outros. Os novos desbravadores abriram uma clareira em plena mata, dando início à implantação do núcleo, com o nome de Cunha Porã. Em fins de 1932, surgiu pequeno comércio de gêneros alimentícios, de propriedade de Arnoldo Kolln. No mesmo ano foi fundada a primeira comunidade religiosa.

         Os efeitos da Segunda Guerra Mundial estagnaram a nova Colônia que, a partir de 1946, recebeu diversas levas de imigrantes, intensificando-se o desenvolvimento.Gentílico: cunha-porenseFormação AdministrativaDistrito criado com a denominação de Cunha Porã, pela lei municipal nº 41, de 30-11­1950, aprovada pela lei estadual nº 26, de 16-10-1951, ex-povoado, desmembrado do distrito de Palmitos, subordinado ao município de Chapecó. Pela lei estadual nº 133, de 30-12-1953, transfere o distrito de Cunha Porã do município de Chapecó para formar o novo município de Palmitos.

            Em divisão territorial datada de 1-VII-1955, o distrito de Cunha Porã figura no município de Palmitos. Elevado à categoria de município com a denominação de Cunha Porã, pela lei estadual nº 348, de 21-06-1958, desmembrado de Palmitos. Sede no antigo distrito de Cunha Porã. Constituído do distrito sede. Instalado em 20-07-1958. Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído do distrito sede. Pela lei estadual nº 774, de 27-11-1961, é criado o distrito de Iraceminha e anexado ao município de Cunha Porã.

             Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído de 2 distritos: Cunha Porã e Iraceminha. Pela lei estadual nº 7577, de 26-04-1989, desmembra do município de Cunha Porã o distrito de Iraceminha. Elevado à categoria de município. Em divisão territorial datada de 1-VI-1995, o município é constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 14-V-2001. Tranferência distrital. Pela lei estadual nº 133, de 30-12-1953, transfere o distrito de Cunha Porã do município de Chapecó para o novo município de Palmitos.  

                                      ORIGEM E SIGNIFICADO DO NOME

            O nome Cunha Porã deriva de Cunhaporá, nome escolhido para uma nova povoação projetada pelo Engº Carlos Culmey, então Diretor da Cia. Territorial Sul Brasil, situada mais ao norte de Palmitos, destinada aos imigrantes de origem alemã e religião evangélica no ano de 1928, quando já se esgotavam os lotes disponíveis em Palmitos (aos católicos era reservado São Carlos e Saudades e aos italianos São Domingos - Caibi). Este nome já havia sido utilizado pelo mesmo engenheiro Culmey numa colonização na Argentina (San Alberto), no ano de 1919, portanto seis anos antes de existir a Cia Sul Brasil, que só foi criada em 1925.

OS COLONIZADORES    

            As famílias que iniciaram o desbravamento do território cunhaporense, eram em sua grande maioria de origem alemã, muitos deles, inclusive estrangeiros, recém vindos ao Brasil. Esta gente sofreu muito com a hostilidade natural de uma região desabitada e inóspita,  infestada de mosquitos  e outros insetos nocivos, com o que eles não eram acostumados. Segundo relatos de alguns destes colonos, os que tinham dinheiro suficiente para voltar, retrocederam até as regiões mais desbravadas, ou até mesmo à sua terra natal, a Alemanha.  Quem não tinha recursos, teve que permanecer enfrentando a luta. Dentre os primeiros colonizadores destacam-se alguns nomes como: Salfner, Keller, Wolff, Kölln, Hochberger, Weimer, Schumann, Walker, todos com participação decisiva para que Cunha Porã chegasse a ser o que é hoje.

      A  EVOLUÇÃO

               Desde a chegada dos primeiros colonos até a metade dos anos 40, quase não houve progresso, em face das grandes dificuldades de acesso e de abastecimento, que tinha que ser feito em lombo de burro desde a cidade de Iraí, no Rio Grande do Sul.

             Em 1946 a vila de Cunha Porã começou a aparecer, moradias foram sendo erguidas, uma a uma, surgiram casas comerciais. Em pouco tempo já havia uma cidadezinha, tanto que  em 1950 foram inauguradas duas igrejas, católica e evangélica.

            Apesar do crescimento gradativo a situação continuava difícil, pois Cunha Porã, sendo Distrito de Palmitos, praticamente não tinha estradas e as poucas que havia, tinham que ser conservadas a custa de picaretas, pás e enxadões.

                                                  A EMANCIPAÇÃO

            Diante destas dificuldades todas, os cidadãos mais representativos se reuniram e iniciaram – por volta de 1954 – o movimento emancipacionista, que pouco a pouco foi ganhando força. Finalmente, em 21 de junho de 1958, foi sancionada a Lei Estadual nº 348 que emancipava Cunha Porã, criando o município, que foi instalado no dia 20 de julho do mesmo ano.

            Esta última data, hoje é comemorada como o DIA DO MUNICÍPIO. Naquele distante 20 de Julho de  1958  assumia a Prefeitura Municipal de Cunha Porã, nomeado em caráter provisório, Bernardo Max Bartz, que muitos anos mais tarde, em 31 de janeiro de  1973, voltaria à Prefeitura Municipal, desta vez como Prefeito eleito. O primeiro Prefeito eleito de Cunha Porã foi Arnaldo Krambeck.

 

IBGE 2010 : TODOS OS DEMAIS DADOS SOBRE O MUNICÍPIO ENCONTRAM-SE EM:

http://www.ibge.com.br/cidadesat/topwindow.htm?1